Revista ELO 4

Index

Espacios y Formas Rituales de lo Femenino en el Romancero Tradicional, Nieves Vázquez, Virtudes Atero

Fairy Tale Motifs in Advertising (2), Patricia Anne Odber de Baubeta

El Cancionero Infantil: Canto, Juego y una posible percepcion del Mundo, Gloria Beatriz Chicote

Canciones Infantiles de la Tradición de Cádiz, Carmen García Surrallés

El Romance dell’Infante Cautivo a Saravejo, Aviva Garribba

The Enzyklopädie des Märchens, Christine Shojaei Kawan

The Enzyklopädie des Märchens, Christine Shojaei Kawan

Funções Discursivas do Provérbio em Textos de Imprensa, Ana Cristina Macário Lopes

El Cuento de El Tesoro Soñado (AT1645) y el Complejo Leyendístico de El Becerro de Oro, José Manuel Pedrosa

Aproximació a l’Estudi de les Rondalles d’Animales: El Cas del Cicle de la Guineu I el Llop, Roser Ros I Vilanova

Motivos Líricos en las Coplas de Columpio, Lourdes Sánchez Vera

An Outline of the Presence of European Sources in Slovene Literary Folklore and Literary Folkloristics, Marija Stanonik


Resumos

_

Espacios y Formas Rituales de lo Femenino en el Romancero Tradicional

Nieves Vázquez, Virtudes Atero

É sabido que a mulher desempenha um papel determinante na vida do romanceiro tradicional. As mulheres constituiram-se como os seus cantores-transmissores por excelência, marcaram os principais espaços “reais” da sua transmissão e aparecem frequentemente como as personagens centrais das suas histórias.

Deixando de lado o papel da mulher tanto na difusão como na temática do género – aspectos mais elaborados pela crítica -, este trabalho debruça-se sobre todos os temas e símbolos que, no romanceiro, dão conta de uma forma de representação do feminino submetida a uma clara ritualização, produto duma tradição cultural muito precisa: espaços onde as mulheres, omnipresentes no romanceiro, assumem uma gestualidade codificada. As autoras deste artigo reflectem sobre o modo como o género tendeu a representar as mulheres e a mostrá-las, sobre qual é o tipo de sociedade que transparece no romanceiro, e sobre a razão de ser destes esquemas de representação. Para tal fim, baseiam-se num corpus de romances da tradição moderna procedentes da província de Cádiz (Andaluzia, Espanha).

cimo ˆ

_

Fairy Tale Motifs in Advertising (2)

Patricia Anne Odber de Baubeta

Proponho-me, neste artigo, seguir a recomendação de Wolfgang Mieder, de que os múltiplos usos dos contos de fadas “têm que ser documentados e interpretados no que respeita à sua função e significado” (Tradition and Innovation in Folk Literature, 1987, p. 4), e explorar os diversos modos como a publicidade que utiliza contos de fadas transmite significados. Em primeiro lugar, proponho que os textos e imagens publicitárias são equiparáveis, como expressão de creatividade e imaginação, a formas de arte mais “convencionais” como a poesia, a prosa ficcional, o teatro ou o cinema, e devem, por conseguinte, ser “lidas” da mesma maneira. Após alguns breves comentários sobre o corpus publicitário que constitui a base da discussão, o estudo considera alguns aspectos gerais da publicidade. No passo seguinte estabelecem-se paralelos entre os contos de fadas e a publicidade em geral, especialmente como ambos os géneros jogam com os desejos (e os medos). Finalmente, através de uma série de análises detalhadas de anúncios da imprensa e da televisão que deliberadamente fazem uso de personagens, intrigas, linguagem e imagens dos contos de fadas, exploro o mecanismo de persuasão dos publicitários para convencer os potenciais compradores de que um fim feliz é possível, de que os sonhos podem tornar-se reais.

cimo ˆ

_

El Cancionero Infantil: Canto, Juego y una posible percepcion del Mundo

Gloria Beatriz Chicote

The present paper stems from the awareness that it is impossilble to approach traditional texts as isolated from their cultural environment, and from the need to understand them from the point of view of the interaction between different factors. As the very foundations of the concept of text were revolutionarised since the structuralist movements (in particular with narratology but also with semiotics and pragmatics), that concept has been extended and redefined taking into account two major determining instances: context and performance.

In the light of these statements the nursery rhymes appear as an adequate subject to approach the problem of performance as the event whereby the actualisation of the message takes place.

From the theoretical problems outlined above we propose a possible approach for a corpus of nursery rhymes gathered in the Province of Entre Ríos (Argentina), considering the linguistic text together with levels of significance that concur in the formation of the communicative instance.

cimo ˆ

_

Canciones Infantiles de la Tradición de Cádiz

Carmen García Surrallés

Este artigo debruça-se sobre a vitalidade das rimas infantis tradicionais da província de Cádiz (Espanha). Distingo três grupos de cantigas recolhidas entre 1978 e 1993: (1) temas tradicionais; (2) folclore de adultos renovado; (3) novos modelos obtidos no meio social envlvente. Analisam-se também as fontes literárias utilizadas.

cimo ˆ

_

El Romance dell’Infante Cautivo a Saravejo

Aviva Garribba

A tradição de Sarajevo do pouco conhecido romance do Infante Cativo merece um exame atento, pelas suas características peculiares e pelo relevo que possui no conjunto da tradição sefardita deste texto, ela própria, aliás, rica de aspectos enigmáticos e pouco estudada. Suscitam numerosas interrogações sobretudo as versões setecentistas conservadas nalguns manuscritos bósnios, muito parecidas entre si e caracterizadas por um tipo particular de final truncado.

Baseando-nos nas versões examinadas (que, em parte, tinham até agora permanecido inéditas), as quais abarcam uma amplitude temporal insolitamente ampla, podemos pôr a hipótese de o Infante Cativo ter gozado em Sarajevo duma certa notoriedade, que mais tarde entrou em perfeita decadência. Comparando os textos bósnios entre si e com as versões doutras comunidades, notamos, por um lado, que as versões de Sarajevo mantiveram ao longo do tempo uma série de elementos, tendências e características próprios, por vezes completamente ausentes das versões de outras sub-tradições; por outro lado, vemos que alguns elementos muito difundidos nessas sub-tradições (em especial na de Salónica) não foram acolhidos pelas versões de Sarajevo. Assim, pensamos que as versões de Sarajevo do Infante Cativo, embora não homogéneas, apresentam traços duma fisionomia local própria.

cimo ˆ

_

The Enzyklopädie des Märchens

Christine Shojaei Kawan

A Enzyklopädie des Märchens (Enciclopédia do Conto) é uma obra de referência que apresenta o resultado de quase 200 anos de pesquisa internacional histórica e comparativista no campo das tradições da narrativa popular e da literatura oral. Desde 1975 que algumas centenas de especialistas de cerca de cinquenta países têm contribuído para este manual, publicado em alemão e que vai no seu nono volume; a obra completa compreenderá cerca de catorze volumes.

Os assuntos tratados podem ser mais ou menos divididos em três grandes grupos: (1) material narrativo (tipos de contos, temas narrativos, motivos, personagens, fontes religiosas, históricas e literárias, etc.); (2) história da pesquisa (panoramas de investigação nacional e regional; biografias de investigadores, colectores, narradores, etc.); (3) teoria (métodos, abordagens teóricas, meios de comunicação social, géneros, funções, contextos, princípios narrativos, problemas de estilo e estrutura, etc.).

Este artigo aborda também alguns dos problemas com que se defrontam os editores e o pessoal adstrito a um empreendimento tão vasto e de tão longa duração, qu se propõe representar estes saberes a um nível mundial.

cimo ˆ

_

The Enzyklopädie des Märchens

Christine Shojaei Kawan

A Enzyklopädie des Märchens (Enciclopédia do Conto) é uma obra de referência que apresenta o resultado de quase 200 anos de pesquisa internacional histórica e comparativista no campo das tradições da narrativa popular e da literatura oral. Desde 1975 que algumas centenas de especialistas de cerca de cinquenta países têm contribuído para este manual, publicado em alemão e que vai no seu nono volume; a obra completa compreenderá cerca de catorze volumes.

Os assuntos tratados podem ser mais ou menos divididos em três grandes grupos: (1) material narrativo (tipos de contos, temas narrativos, motivos, personagens, fontes religiosas, históricas e literárias, etc.); (2) história da pesquisa (panoramas de investigação nacional e regional; biografias de investigadores, colectores, narradores, etc.); (3) teoria (métodos, abordagens teóricas, meios de comunicação social, géneros, funções, contextos, princípios narrativos, problemas de estilo e estrutura, etc.).

Este artigo aborda também alguns dos problemas com que se defrontam os editores e o pessoal adstrito a um empreendimento tão vasto e de tão longa duração, qu se propõe representar estes saberes a um nível mundial.

cimo ˆ

_

Funções Discursivas do Provérbio em Textos de Imprensa

Ana Cristina Macário Lopes

Este trabalho pretende contribuir para o estudo das funções discursivas do provérbio inserido em textos da imprensa portuguesa contemporânea. Assim, o provérbio funciona frequentemente como peça de um esquema argumentativo, quer como argumento a favor de uma tese, quer como justificação de uma conclusão. Noutros contextos, o provérbio funciona como comentário avaliativo por parte do jornalista. Detectou-se ainda uma função macro-discursiva ou de organização textual: em títulos e sub-títulos prevalece a função de resumo catafórico do texto subsequente; no final do artigo ou da crónica, o provérbio funciona dominantemente como remate conclusivo ou sumário anafórico do texto anterior.

cimo ˆ

_

El Cuento de El Tesoro Soñado (AT1645) y el Complejo Leyendístico de El Becerro de Oro

José Manuel Pedrosa

O conto O Tesouro Sonhado (AT 1645) encontra-se documentado em muitas tradições europeias e asiáticas. As poucas versões espanholas conhecidas permite-nos analisar os seus diversos motivos narrativos e ideológicos, e as suas vinculações a crenças e mitos: “o bezerro de ouro”, “o corno da abundância”, “a oniromancia”, “o touro guardião do tesouro”, “a ponte mágica” e, sobretudo, “o achado em colaboração”, motivo este que encerra as chaves profundas da interpretação do conto.

cimo ˆ

_

Aproximació a l’Estudi de les Rondalles d’Animales: El Cas del Cicle de la Guineu I el Llop

Roser Ros I Vilanova

Este trabalho pretende ser uma introdução ao estudo dos contos de animais, a partir da análise de contos do ciclo da raposa e do lobo recolhidos nos Països Catalans (Principado da Catalunha, Ilhas Baleares e Valência) e também do conhecimento dos arquétipos das suas personagens principais.

A vontade de conhecer mais a fundo os comportamentos da raposa e do lobo baseia-se na crença de que, de todos os elementos que constituem os contos, as personagens são talvez os que têm maior importância na sua configuração e estruturação. Mediante o estabelecimento da árvore genealógica das famílias dos protagonistas, tentei demonstrar que o seu longo caminho desde tempos muito remotos e uma mais que provada procedência geográfica exótica e longínqua foram desenhando o carácter e a função daqueles dois animais.

Resumindo: o par formado pelo lobo e pela raposa possui uma árvore genealógica tão antiga como o mundo e, além disso, conta com ilustres antepassados, que formaram o seu carácter em contextos culturais e geográficos muito afastados dos nossos. E que resulta de tudo isto? Um comportamento feito de misturas, que condiciona os finais dos contos do ciclo, conforme vemos na sua análise.

cimo ˆ

_

Motivos Líricos en las Coplas de Columpio

Lourdes Sánchez Vera

A literatura oral apresenta grande variedade na província de Cádiz (Espanha). Uma das suas manifestações são as chamadas Cantigas de Baloiço (Coplas de Columpio). Neste artigo analisam-se alguns dos motivos líricos que as compõem e, além disso, apresentam-se outros textos da literatura culta e oral que contêm os mesmos motivos.

cimo ˆ

_

An Outline of the Presence of European Sources in Slovene Literary Folklore and Literary Folkloristics

Marija Stanonik

A primeira parte deste artigo trata dos ecos do passado europeu, desde a Grécia antiga até ao presente, que existem na literatura oral eslovena. Podemos encontrar motivos derivados da mitologia grega; motivos que aparecem mencionados por Paulo Diácono na sua História dos Longobardos; contos, datáveis da época da cristianização, sobre os santos Cirilo e Método, frades dos arredores de Salónica; baladas populares cujos motivos podem remontar até à Espanha e Irlanda, em resultado das peregrinações medievais. A literatura oral eslovena inclui recordações de Napoleão e dos seus soldados, de incursões turcas, e óptimas lembranças do rei húngaro Matias Corvino, popularmente conhecido por Krajl (rei) Matjaž. São igualmente evocadas as três nações vizinhas: Itália, Alemanha e Croácia.
A segunda parte do artigo tenta dar uma ideia dos contactos de alguns intelectuais de várias nações europeias que vieram à Eslovénia, a partir da segunda metade do séc. XVIII, entrando em contacto com os nossos investigadores e influenciando o seu trabalho etnológico e folclorístico. Foi graças a esta interacção que a ciência conhecida hoje como “folclorística literária” se foi desenvolvendo gradualmente na Eslovénia. Neste âmbito, surgem nomes da Alemanha, Austro-Hungria, Polónia, Sérvia, França, Intália, Rússia, etc.

cimo ˆ

Imprimir Adicionar aos favoritos Enviar a um amigo

Send to a friend